Por que vender em marketplaces? Conheça este canal

O que são e por que vender em marketplaces?

 

O que são os marketplaces

 

Você conhece ou já ouviu falar em e-marketplace ou marketplace online? Do inglês feira, pelo nome já deduzimos que se trata de comercialização de produtos pela internet. Seu diferencial é o fato de se tratar de um e-commerce colaborativo, um shopping virtual com dois níveis de acesso: um deles destinado ao lojista e o outro aos consumidores. 

 

Aos compradores não existem grandes diferenças, afinal o preço é o mesmo e a navegação é continua como uma loja virtual qualquer. Se por um lado existe a possibilidade de acesso a preços e produtos de diversos vendedores em um mesmo site, vários usuários não compreendem tão bem essa relação e acham que todo produto é fornecido pelo dono do marketplace. Diversas vezes, por exemplo, um produto no Walmart é vendido por um parceiro, mas, como a maioria do público interpreta o marketplace como uma loja, os compradores acham que estão comprando da própria companhia Walmart. E isso pode ser fator crucial para aumentar sua conversão nas vendas.

 

Quer receber outras dicas e conteúdos exclusivos sobre como aumentar as vendas no seu e-commerce?Cadastre seu email!

 

Por que vender em marketplaces?

 

Para assegurar a confiança do comprador final, os marketplaces mais renomados do mercado investem grandes fatias de sua receita em publicidade e propaganda, se posicionando como serviços confiáveis e de qualidade, uma das grandes vantagens de se utilizar essas plataformas. Um ótimo exemplo é o da Kanui, que se posicionou através de blog, youtubers e até propaganda na televisão como referência em moda online.

 

Imagine, por exemplo, que você vende uma marca própria de calçados que está apenas começando no meio online, sendo totalmente desconhecida. Por um lado, se o cliente acessar seu site, ele pode se manter receoso e resistente à compra devido à falta de um selo e-bit, por exemplo, mas, sua loja sendo reconhecida na Dafiti, por exemplo, como uma marca confiável, a taxa de conversão aumenta drasticamente.

 

No entanto, deve ser objetivo do lojista, a captura dos clientes originários do marketplace para a loja virtual própria, no intuito de evitar a compressão da margem de lucro. Para isso, programas de indicação de clientes funcionam muito bem. Enviando cartões com chamadas para recomendar a marca junto das entregas, com a estrutura de incentivo, mensuração e otimização adequadas do marketing boca a boca, você também conseguirá fortalecer a sua loja virtual. Este é um trabalho que nós estamos desenvolvendo, e estamos colhendo os frutos.

 

Como o serviço funciona

 

O marketplace funciona da seguinte maneira: são cobradas comissões sobre o volume de vendas realizadas pelos lojistas, sendo essa porcentagem variável segundo indústria, produto e marketplace. Um intermediador financeiro, como a Moip, o PayPal e o PagSeguro, é responsável por intermediar as transações com segurança. Existe, também, a possibilidade de pagamento a prazo, que varia de 2 a 45 dias após a postagem ou entrega.

 

Exemplos de marketplaces

 

Existem diversos marketplaces no Brasil. O mais reconhecido como um é o Mercado Livre, o mais tradicional da América Latina. Nele, as avaliações dadas pelos compradores em relação ao vendedor são extremamente importantes e ajudam a balizar a confiabilidade do lojista, sendo ponto central do design da plataforma e relação com visitantes.

 

Por outro lado, marketplaces mais recentes, como o grupo B2W, que engloba Submarino, Americanas e Shoptime, não demonstram essa relação tão claramente para os desavisados. O Walmart é outro nome forte de e-commerce nesse estilo, além do Magazine Luíza e CNOVA. Essa última unifica Casas Bahia, Ponto Frio e Extra.

 

Conclusão

 

Agora que você já sabe por que vender em marketplaces, procure com disciplina pelos markeplaces que mais condizem com a sua marca, mercado e persona (cliente) e faça a implementação o quanto antes.

 

No entanto, utilizar um marketplace não deve significar se tornar refém dele! Não se esqueça de utilizar o marketing boca a boca para atrair os compradores do marketplace para seu domínio próprio.

Finalmente, não deixe de conferir os catálogos online, como o Mucca Shop, para expor seus produtos. Ao contrário dos marketplaces, eles não cobram comissão sobre vendas, mas sim um custo variável por clique em seus produtos, no estilo AdWords. Além de alcançar mais potenciais clientes, os catálogos (e os marketplaces também) te fornecem backlinks para sua estratégia de link building, o que fortalece seu SEO, posicionamento no Google e demais ferramentas de busca e, consequentemente, mais acessos orgânicos ao site e vendas resultantes.

Quer receber outras dicas e conteúdos exclusivos sobre como aumentar as vendas no seu e-commerce?Cadastre seu email!
Henrique Cavalieri
Henrique Cavalieri
Colaborador da Ditiz, com vasta experiência no desenvolvimento de startups e pequenos negócios. Ensino empreendedorismo para MEIs e donos de empresas iniciantes das comunidades de Belo Horizonte, sendo o Marketing Digital meu foco.

Os comentários estão encerrados.

//]]>