9 dicas para maximizar resultados no Facebook Ads | Ditiz

Agora que você já sabe como anunciar no Facebook Ads, antes de começar a investir, você deve aprender as boas práticas para maximizar resultados no Facebook Ads. Evite perder dinheiro e potencialize seu ROI com este guia.

 

É imprescindível ter familiaridade com a lógica por trás destes anúncios e como operá-los, afinal o conteúdo deste artigo depende disso. Logo, se você ainda acha que deve conhecer melhor esta plataforma, leia este guia completo para ficar por dentro.

 

Sem mais delongas, vamos para nossas dicas e boas práticas:

 

Antes de anunciar

 

1. Planeje seu orçamento e o que quer promover

 

Como você aprendeu com nosso guia completo sobre como anunciar no Facebook Ads, o Facebook permite uma série de customizações para seus anúncios. Sendo assim, se você não souber o que quer promover, quanto está disposto a gastar e com qual objetivo, por mais que tenha retorno, não vai saber dizer se este foi um sucesso ou não.

 

Como exemplo, se seu e-commerce trabalha com artigos extremamente incomuns no mercado, exigindo da sua equipe de marketing o esforço de educar o mercado, provavelmente faz total sentido para sua loja investir em posts com o objetivo de ensinar ao público o que é que sua loja oferece e sua proposta de valor. Este é o estágio da descoberta do funil de vendas, e exigirá campanhas com este tipo de objetivo. Além disso, o resultado deve ser considerado de forma totalmente diferente: você não vai medir quantas peças vendeu, mas sim quantas pessoas estão falando do seu produto, quantas curtiram sua página e quantas se engajaram com suas publicações.

 

Se você não definir o orçamento das suas campanhas, o entusiasmo pode tomar conta e prejudicar a saúde financeira da sua empresa, então tenha cuidado! Mesmo com ROIs positivos, investir demais pode ser prejudicial e fora da realidade da sua loja: caso não houver estrutura para confirmar os resultados, testar e aprender com a experiência, seus custos estarão muito mais altos do que poderiam estar, e sua receita menor. Então vá com calma, invista gradativamente e erre com pouco, para depois acertar com muito.

 

Finalmente, sem o planejamento de datas e período, sua loja pode levar tráfego quando não tem capacidade de atender, divulgar a peça errada no momento errado, e investir por mais ou menos tempo que deveria, deixando de ganhar ou aumentando as perdas. Logo, atente-se aos prazos e períodos: um anúncio de preço inteiro na época de Black Friday VAI retornar muito menos que o esperado, por exemplo.

 

2. Conheça sua persona e construa sua audiência representativa

 

Como falamos em nosso último post, sem a devida segmentação, você vai estar pagando por cliques que não irão converter, e com segmentação exagerada ou incorreta seu custo por clique (CPC) vai estar alto demais e pode vir a não se pagar. Então faça seu dever de casa: entenda sua persona, traduza isso para suas informações, interesses e hábitos no Facebook, e crie uma audiência representativa.

 

Você pode criar uma audiência em 2 minutos, se satisfazer com o ponteiro indicativo do Facebook de que ela não está nem específica e nem ampla demais, começar a investir e esquecer disso, mas saiba que ESTARÁ PERDENDO DINHEIRO. Esta não é uma atividade qualquer, exige total atenção e cálculo, já que pauta todos os outros resultados. Então reforce seu estudo e esteja sempre testando sua audiência.

 

3. Instale o Facebook Pixel e conserte seu Analytics

 

O Facebook Pixel funciona de modo similar ao Google Analytics: você o instala através de um <script> de Javascript em seu HTML e ele passa a colocar cookies em seus visitantes para medir suas atividades no site. Através dele, você consegue compreender as ações dos usuários da rede social em seu site, e veicular campanhas voltadas para a conversão que você definir (realizar uma compra, por exemplo). Seus resultados são excepcionais e permitem um cálculo muito mais fácil do ROI e do CAC, então não deixe para depois, instale agora mesmo o Facebook Pixel através deste guia.

 

Já o Google Analytics (se você tiver outro analytics, esta dica também vale) já é utilizado pela maioria dos sites, mas frequentemente sua contabilização de conversões e origem de tráfego é imperfeita. Se não tiver conhecimento técnico, contrate alguém para fazer estes ajustes para que você possa verificar os resultados do Facebook também em seu Analytics. Além disso, uma grande vantagem deste passo é que ele te permite medir TODAS as fontes de tráfego, não só o Facebook, se tornando essencial.

Quer receber outras dicas e conteúdos exclusivos sobre como aumentar as vendas no seu e-commerce?Cadastre seu email!

 

Montando seu anúncio

 

4. Prefira vídeos

 

Resumidamente, o Facebook favorece as páginas que fazem publicações no formato de vídeo ao invés de imagens ou links, vídeos engajam melhor o usuário que está no smartphone e geram maior engajamento. Com isso, o lance que você precisa fazer por posicionamento do anúncio reduz, reduzindo o custo por visualização e, portanto, o custo por clique em seu anúncio. Sendo assim, prefira conteúdos virais e facilmente compartilháveis.

 

Mais uma vantagem a se atentar: os vídeos no Facebook são diametralmente diferentes do YouTube.

 

Enquanto o YouTube é extremamente rígido na contagem de vizualizações, limitando por IP, tempo assistido, etc, o Facebook contabiliza o mesmo usuário quantas vezes ele abrir o vídeo, contanto que assita por ao menos 3 segundos. Além disso, os vídeos dão play automaticamente no feed de notícias do usuário, assim, você provavelmente já contou como estatística de visualizações de diversos vídeos hoje, puramente por navegar na página inicial do Facebook.

 

Com este número inflado, a plataforma considera que seu conteúdo engaja sua audiência, facilitando sua inserção, reduzindo seu CPC.

 

5. Se não puder usar vídeos, use imagens sem texto

 

Seguindo os mesmos princípios, é muito mais fácil se engajar com uma imagem do que um texto qualquer. Mesmo para links cujas imagens são atrativas, o Facebook prejudica seu alcance. Sendo assim, se não conseguir vídeos, utilize imagens para suas campanhas.

 

E aqui vale uma dica preciosa: evite texto nas imagens. Por mais que o Facebook tenha modificado sua política de texto em imagens, ele ainda sabota aquelas que ultrapassam seus níveis predeterminados, segundo uma escala de “Ok” até “Alta” para a concentração de escrituras. A diferença é gritante: em um post que veiculamos para um de nossos clientes, gastamos R$ 40,00 para duas versões dele: uma continha uma imagem no nível “ok” e outra no nível “baixo”, e o resultado foi um CPC R$ 0,07 maior (33%) para o segundo.

 

6. Não tem imagens? Verifique a OG image da página

 

Lembre-se: antes uma publicação sem imagens do que forçar a barra com algo pouco representativo ou cliché, pense no engajamento dos usuários. Então, se você não pode ou não tem imagens para utilizar, seu próximo passo é apelar para os links.

 

Post da Ditiz no Facebook

Os links do Facebook possuem uma imagem, um título, uma descrição e um link para display

 

Estes atributos são definidos pelas tags “OpenGraph”, ou OG Tags. Elas são o parâmetro que avisam para o Facebook o que deve ser mostrado no link. Para textos em um blog, a própria plataforma de conteúdo (CMS), como o WordPress, este processo é automático, sendo que você pode otimizá-lo facilmente.

 

Meta Tags de um post da Ditiz

Exemplo das OG Tags deste post da Ditiz

 

 

Para e-commerces, isto varia para cada plataforma. Aquelas que são mais personalizáveis, como o Magento, permitem a inserção customizada em cada página de produto. Descubra como a sua funciona e garanta a existência das melhores OG Tags para sua página a ser promovida (e para todas, para caso algum usuário compartilhá-la em redes sociais). Vale ressaltar que OG Tags valem para todas as redes sociais, inclusive Whatsapp.

 

Link sem OG Tag

Afinal, você não vai querer um link feio assim, vai?

 

Se quiser aprender mais sobre OG Tags, leia mais aqui.

 

7. Atente-se à redação do post

 

Este e o próximo item referem-se à redação das suas publicações. Por mais que a imagem e o investimento sejam os fatores mais críticos para suas postagens impulsionadas, pouco vale uma cuja redação é ruim ou inexistente.

 

Sendo assim, tenha certeza que sua mensagem é clara, concisa e curta. Algumas boas práticas nesta redação são:

 

7.1 Utilize da urgência na redação e imagem

 

Sua audiência tem diversas coisas para fazer e muito conteúdo para ver no Facebook, então diferencie-se da massa e crie urgência na ação do usuário. Faça com que quem estiver lendo sinta a necessidade de “correr” para completar seu objetivo, caso contrário, a postagem vai se perder no feed dessa pessoa, que não vai voltar a engajar com este anúncio.

 

7.2 O primeiro parágrafo do texto é essencial, faça bom uso dele

 

Quando foi a última vez que você leu um texto de uma página no Facebook que tinha um primeiro parágrafo extremamente desinteressante? Pois é, na velocidade das redes sociais, se algo não nos interessa no início, dificilmente vai nos interessar no fim, ou pelo menos é isso que nosso subconsciente nos diz. Sendo assim, faça um parágrafo chamativo, comece com perguntas, com textos de urgência em caixa alta… o que sua criatividade mandar.

 

7.3 Não exagere no tamanho do texto

 

Se o texto exige a presença do “leia mais…” para terminar a leitura, ele não vai incitar engajamento excepcional. Assim como um parágrafo desinteressante, texto demais nos afasta da leitura. Então, escreva pouco, direto ao ponto, e cause curiosidade e urgência no leitor. Com o tempo você vai perceber que textos pequenos são seus amigos e podem te ajudar criando esses sentimentos nos usuários.

 

7.4 Utilize emojis e caracteres especiais para chamar a atenção para o texto.

 

Você reparou que utilizamos diversas palavras em negrito, diferenciamos cabeçalhos em 3 tamanhos diferentes, fizemos parágrafos pequenos e demos bastante espaço entre eles? Isto é para tornar o texto escaneável, de fácil leitura e atrativo. O mesmo deve valer para postagens no Facebook.

 

Emojis chamam MUITO a atenção, já que dão cor ao post e quebram a formalidade extrema, dois pontos bastante procurados pelos usuários nas redes sociais. Se quiser, pode utilizar também caracteres especiais que se convertem em emoticons, como os encontrados nesta página, que podem até mesmo serem utilizados em seus emails e newsletters.

 

Quer receber outras dicas e conteúdos exclusivos sobre como aumentar as vendas no seu e-commerce?Cadastre seu email!

 

8. Teste, teste e teste novamente

 

Com base nesses 7 pontos que apresentamos até agora, você tem uma infinitude de possibilidades e formas de agir, e, portanto, os resultados também podem variar enormemente. Assim, como você sabe que sua campanha foi ótima se você só testou ela uma vez? Então faça um favor para seu bolso e teste incansavelmente suas hipóteses.

 

Acha que trocar imagem X por Y vai reduzir o CPC? Então TESTE!

 

Acha que criar uma audiência com o fator Z diferente vai aumentar a conversão? Então TESTE!

 

Tem certeza que trocar o call to action (CTA) de “Saiba mais” para “Compre agora” vai aumentar a taxa de clique (CTR)? Então TESTE!

 

Aproveite que o Facebook Business te permite duplicar campanhas, sets de anúncios e anúncios, te fornece quase todos os dados que puder imaginar e que você pode dividir facilmente seu orçamento entre as versões, e comece a fazer testes A/B, você não vai se arrepender.

 

8.1 Caso real

 

Em uma das campanhas que veiculamos para um cliente de moda feminina, tivemos tráfego considerável: 3000 cliques ao longo de 4 dias, o suficiente para termos parâmetros para aprendizado. Nesta primeira campanha, deixamos o Facebook anunciar o post ao longo do dia, independente do horário.

 

Resultado de anúncio com base no horário

A partir do resultado, definimos que passaríamos a escolher o horário de 8h às 14h e o de 18h às 23h somente para nosso orçamento diário

 

Com esta mudança, duas coisas ocorreram:

 

  • Passamos a investir somente nos períodos de maior tráfego para nosso público, o que aumentou o lance necessário para as impressões do anúncio;
  • Evitamos o desperdício de lances que não traziam cliques e aumentamos a conversão, já que nosso Analytics apontava que o período da noite e início de tarde era quando as pessoas vindas desse anúncio mais convertiam.

 

Então, por mais que tenhamos passado a pagar mais por visualização, nosso resultado foi positivo, abaixando nosso CPC de R$ 0,02 para R$ 0,01 e aumentando o ROI do anúncio em 47%.

 

Além disso, modificamos imagens, audiências e posicionamentos constantemente, sempre melhorando nossos resultados e aprendendo no processo. Em nossas campanhas voltadas para conversão, utilizando o Facebook pixel, vimos que anúncios veiculados apenas para desktop tinham um custo de aquisição 10x menor que os veiculados também para celular, confirmando nossa hipótese de que celular não gera muita venda no Brasil.

 

Então, TESTE.

 

Colhendo os frutos e resultados

 

9. Verifique o resultado e aplique seus conhecimentos

 

Não se esqueça do exemplo anterior: você deve verificar o quanto este investimento está trazendo para você, identificar gargalos e campanhas mal veiculadas, traçar possíveis ações para melhorar o cenário e aplicá-las.

 

Os testes que você fez no item 8, depois de confirmados como positivos, podem passar a ser incorporados como boas práticas para seu negócio, aumentando perpetuamente a eficiência dos seus anúncios.

 

No entanto, não inicie um fetiche por dados. Já estivemos lá: passávamos o dia abrindo o Analytics e o Facebook Business e a recompensa psicológica de ver os números nos fazia continuar nesse ciclo. Eventualmente percebemos que isso estava reduzindo nossa produtividade e não trazia nenhum ganho. Saiba quando medir e agir sobre, e em breve você estará extraindo (quase) todo o resultado da veiculação de anúncios no Facebook. Mas lembre-se sua publicidade NUNCA estará perfeita.

 

Conclusão

 

Esperançosamente, com estas dicas e o guia completo de como investir no Facebook Ads, você estará em condições para levar mais vendas para seu negócio sem gastar muito com isso. E, se este não for o caso, está na hora de diversificar seus canais de venda!

 

Se esse for seu interesse, que tal começar com o Google AdWords? Ele é um canal mais complicado, cujo CPC é mais caro, mas os leads costumam ser mais “quentes” e converterem mais.

 

Escrever é sua praia ou você está pretende a gastar com redatores e busca resultados de longo prazo? Então o marketing de conteúdo é o ideal para seu e-commerce!

 

Seu produto e entrega são excepcionais e seus clientes amam sua loja? Então aproveite e faça deles seus vendedores com o marketing boca a boca!

 

Quer ideias para aplicar no seu e-commerce? Que tal começar por estas 7?

Quer receber outras dicas e conteúdos exclusivos sobre como aumentar as vendas no seu e-commerce?Cadastre seu email!
Henrique Cavalieri
Henrique Cavalieri
Colaborador da Ditiz, com vasta experiência no desenvolvimento de startups e pequenos negócios. Ensino empreendedorismo para MEIs e donos de empresas iniciantes das comunidades de Belo Horizonte, sendo o Marketing Digital meu foco.
//]]>